Filipa Abreu regressa à competição “encantada e apaixonada” após 14 anos de paragem

  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Filipa Abreu, de 34 anos, é uma portuguesas que vai participar, no próximo fim de semana, no Open de Masters de natação artística, em Bruxelas, um regresso à competição após 14 anos de paragem de uma modalidade que a deixa “encantada e apaixonada”.

“Após a Comen não foi fácil ter consciência de que deixaria a sincro [como treinadora]… em pesquisas de vídeos tive curiosidade em ver os do Mundial de masters e fiquei encantada e apaixonada. Ver senhoras de 70 anos, duetos mistos com mais de 60 anos foi maravilhoso e tocou bem cá no fundo, e senti que ‘vamos lá regressar’, revelou, ao Chlorus, a atleta inscrita pela Gesloures que atuará em solo no escalão 30-39 anos.

Filipa Abreu deixou a competição em 2003 no Clube de Natação da Amadora. Depois enveredou pela arbitragem, foi treinadora na Gesloures durante uma época e esteve um ano como técnica da Federação Portuguesa de Natação, voltando depois novamente na arbitragem.

Nas últimas três temporadas, assumiu o comando técnico da equipa do Sport Algés e Dafundo. “Deixei o projeto por vários motivos: dificuldade em conciliar com a minha outra atividade profissional e sobretudo por sentir necessidade em aumentar o meu conhecimento para dar as ferramentas necessárias às atletas. Já estavam num nível tal que senti necessidade em explorar mais a minha formação para se poder potenciar ao máximo esses talentos”, referiu a atleta, que se sente “muito orgulhosa do trabalho” que as suas ex-pupilas estão agora a realizar no seu novo clube, a Gesloures. “Continuam a progredir e os resultados já começaram a aparecer no último campeonato de figuras”, acrescentou.

Daí surgiu o “bichinho” de voltar a entrar na piscina… como nadadora de natação artística. “Inscrevi-me na Abóboda em utilização livre e a pouco e pouco fui treinando, recordando a prática… tive e tenho tido algumas frustrações por o nível não ser o mesmo que me recordava ter, mas o prazer tem sido tal que me faz sempre ser cada vez mais persistente e a pouco e pouco a progressão vai acontecendo”, revela Filipa Abreu Pires, anotando que algumas atletas da Gesloures, nomeadamente a Bárbara Costa e a Maria Margarida Gonçalves, têm a ajudado a dar algumas dicas que “têm sido fundamentais para melhorar e ir um pouco mais além”.

“Ainda estou longe do que gostaria, já são 34 anos, 14 anos de paragem, e mesmo na minha época de atleta as estratégias e os conhecimentos não eram de todo os mesmos que são hoje em dia. Só com os meus 17 anos é que tive consciência que a natação é essencial para melhorar a rapidez, a velocidade e a dinâmica dos movimentos, mas continuo perdidamente apaixonada por esta modalidade que tão bem me tem feito fisicamente como mentalmente”, frisou a atleta master.

Inês Guimarães, do Município de Odivelas, é outra atleta portuguesa em competição. Fará o solo do escalão 25-29 anos.

Estarão em 39 equipas em prova oriundas da Holanda, Espanha, Suécia, Portugal, Itália, Grã-Bretanha, Alemanha, França e Bélgica.

Site da competição

Créditos da foto: Filipa Abreu Facebook

Comentários