Números do Campeonato Nacional da 1ª divisão – Parte II

  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Neste artigo deixo vários gráficos. Comparo a eficácia das superioridades e inferioridades e o peso dos golos obtidos/sofridos nesta situação específica de jogo, assim como a evolução dos golos da 1ª para a 2ª parte. Desta época e das duas anteriores.

No artigo “Números do campeonato nacional da 1ª divisão – Parte I” referi que as médias e as eficácias vêm diminuindo ao longo das últimas épocas. Apesar deste facto, existe uma equipa que merece um grande destaque: o Vitória de Guimarães. Consegue praticamente duplicar a sua eficácia desde 2015/16 em superioridades (gráfico I) e inferioridades numéricas (gráfico II).

grafico I f

Relativamente aos “6×5”, o Fluvial tem um excelente registo. Com uma eficácia de 50,9% consegue inclusive o recorde desde que controlo estes valores. Perto deste número esteve o Povoense em 2015/16 e o Paredes a época passada. A equipa que obteve mais expulsões a ser favor foi o Sporting com uma média de 8 por jogo. O Fluvial é a equipa com mais golos nesta fase do jogo.

Ao nível do “5×6” a equipa com melhor eficácia é o CDUP. Este valor é ainda mais interessante, por ser juntamente com o Sporting, a equipa com mais expulsões (média de 8). O recorde está no CDUP em 2015/16 com apenas 20,9% de golos sofridos em inferioridade.

grafico II f

Quatro equipas estão com uma dependência acima da média nos golos marcados em superioridades numéricas relativamente aos seus golos totais (a rondar os 25%): CDUP, Sporting, Vitória e Algés (a equipa com o valor mais alto). Apesar disto, as diferenças acabam por não significativas em termos percentuais. Confesso uma certa surpresa nestes valores…esperava números mais elevados. O CDUP tem o recorde na época passada com 35%. Perto só o Povoense em 2015/16.

grafico III f

Relativamente ao peso nos golos sofridos em inferioridade numérica relativamente aos golos totais que sofrem, o Povoense está claramente destacado, com um valor de 30%. O Vitória iguala os valores do CDUP de 2015/16 com apenas 16,1% de peso nos golos sofridos. Muito pouco!

grafico IV f

O último gráfico que coloco está relacionado com a diferença de golos marcados/sofridos entre a 1ª e a 2ª parte.

Existem 2 equipas que se destacam pela quebra de produção entre partes, o Paredes e o Fluvial. Do lado oposto, o Algés e o Cascais melhoram significativamente na 2ª parte.

grafico V f

Na próxima semana vou colocar tabelas sobre quais os momentos (segundos) das superioridades numéricas se finaliza. Será que existe alguma tendência em Portugal? As equipas que possam ter essa tendência em superioridade também têm em inferioridade? Posso revelar que encontrei esta relação em 2 casos. Efeito de treino?

Deixo uma pergunta. Consideram que existe números no campeonato nacional surpreendentes e/ou dentro dos valores esperados?

Comentários