Vânia Neves de prata na Madeira, Tiago Campos de bronze

  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Vânia Neves, em segundo, e Tiago Campos, em terceiro, foram os melhores portugueses no IV Madeira Island International Swimm Marathon, organizado este sábado pelo Clube Naval do Funchal.

A nadadora olímpica do Fluvial Portuense discutiu a vitória na prova com Judite Navarro Silvestre. A espanhola venceu com 2.01.43,58 horas com a portuguesa a ceder apenas na última volta, para terminar com 2.04.04,01.

Angélica André, recente vencedora do Circuito Nacional, acabou por não se apresentar à partida por se sentir diminuída com uma dor no ombro. Sara Alves sentiu-se mal disposta, por causa da forte ondulação, vomitou várias vezes, até ser obrigada a abandonar.

Na competição masculina, Tiago Campos (CN Rio Maior) manteve-se na luta pela vitória até aos derradeiros metros, acabando por assegurar o terceiro lugar (1.48.22,54) ao ‘sprint’ com os espanhóis Rojas Rabassas Iglésias (1.48,20,31) e Gillem Pujol Belmente (1.48,20,65), a terminarem em primeiro e segundo, respetivamente.

Raul Betancor (Espanha) foi 4.º com 1.48,24,75; Marco Martinez (Espanha) 5.º com 1.51.12,21; Rafael Gil,6.º com 1.51.20,41; Pablo Gimena (Espanha) 7.º com 1.51.40,59; José Paula Carvalho 8.º com 1.51.45,77; Sérgio Romero (Espanha) 9.º com 1.55.38,29; Xavier Viquera (Espanha) 10.º com 1.56.24,67; Manuel Sangles (Espanha) 11.º com 1.56.28,34; Diogo Coelho 12.º com 2.01.59,97; Diogo Nunes 13.º com 2.04.03,64. Diogo Marques desistiu ressentindo-se se de uma hérnia.

“Sepois de uma semana duríssima de trabalho, toda a seleção nacional encarou esta competição de forma séria e com compromisso. Alguns nadadores, na parte final da prova, pagaram essa fatura, não conseguindo acompanhar o grupo da frente, composto pelos quatro primeiros, que se isolaram nas duas últimas voltas. Os nadadores portugueses entregaram-se à prova e a grande maioria, mesmo os adversários, sentiram o “peso” da semana de trabalho intenso. O saldo da participação é positivo com alguns nadadores a demonstrarem ter capacidade para nadar com grande intensidade a prova, e com bastante potencial para evoluir”, afirmou Daniel Viegas, diretor- técnico para as águas abertas, em declarações ao site da Federação Portuguesa de Natação.

Comentários